top of page
Buscar
  • Foto do escritorAntonio Mário Bastos

As rosas

Quem cultiva rosas, não tem olhos para espinhos.

Hoje eu conversei com um montão de rosas.

Elas eram lindas, ‘lindas de morrer’, como se diz no ditado popular!

— Tá certo, vocês vão dizer que foi um monólogo.

— Foi mesmo.

— Elas me ouviam inertes e talvez assombradas com a atitude deste velho catingueiro, abelhudo e teimoso.

As tais rosas me foram apresentadas, não de modo particular, pelo escritor, poeta, acadêmico e professor, um dos meus pares no Grupo de WhatsApp denominado Escritores Brasileiros na Itália, Aleilton Fonseca, nesta bela manhã de sábado.

Era em torno de vinte ‘meninas’, todas meigas, brilhosas, de cores e fragrâncias variadas. Transpunham um verdadeiro festival de alegria, paz, fidalguia e amor, envolvidos em suas pétalas e disseminados nas suas fragrâncias.

Gostaria, se pudesse e conhecesse, de nominá-las, uma a uma.

Mas, ousaria apelidá-las para meu particular relacionamento com cada uma delas e como se fôssemos velhos conhecidos, obviamente que utilizando nomenclatura respeitosa, carinhosa e recheada de amor intenso.

A de cor branca seria menina inocência; a de cor amarelo, menina prosperidade; a de cor rubra, menina amor; a de cor lilás, menina sorriso; as de cor azul, menina mistério; as de cor champanhe, menina respeito; as de cor rosa, menina juventude; as de cor negra, menina emoção.

Sobre as fragrâncias seria difícil uma classificação ou nomeação particular, daí aceitar cada uma delas como se tivesse nome de representação única: ‘cheiro de amor’!

Parodiando a canção do mestre Cartola, essas rosas do Aleilton ‘não falam’; também ‘não exalam o perfume...’, pois elas não roubaram de ninguém o tal perfume; elas apenas me enebriaram com suas aparências, suas cores, suas belezas inconfundíveis.

Não ‘me queixo às rosas’!

Elas simplesmente me incentivaram a escrever estas breves linhas, impulsionadas pelo coração, para dizer da alegria do encontro com as rosas do Aleilton.

Tonho do Paiaiá
Sem queixar-me às rosas
Salvador, 8 julho 2023
83 visualizações1 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page